CPT lança publicações sobre o Cerrado Brasileiro, em São Luís | Rádio Educadora AM 560KHz do Maranhão Rural

CPT lança publicações sobre o Cerrado Brasileiro, em São Luís

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançou, nesta terça-feira (29), a primeira edição da Revista Cerrados e o documentário “Cerrado: Rostos, Vidas e Identidades”. A apresentação dos materiais ao público ocorreu no Sindicato dos Bancários do Maranhão, em São Luís.

De acordo com a CPT, a Revista Cerrados analisa a expansão do agro e hidronegócio na região denominada pelo governo federal de MATOPIBA (que engloba áreas de Cerrado dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) e a relação com outras Savanas na África e na América do Sul, como modelo de “desenvolvimento” a ser implementado em outras localidades. Todavia, em contraponto a esse cenário conflituoso, a publicação mostra a auto-organização e as resistências dos povos dos Cerrados na defesa de seus territórios, dos bens comuns e a construção contínua do Bem Viver.

Já o documentário “Cerrado: Rostos, Vidas e Identidades”, retrata um pouco da diversidade dos Cerrados que está presente em cada rosto de seus povos e comunidades tradicionais: indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, camponeses, fundo e fecho de pasto, retireiros do Araguaia, vazanteiros e tantos outros. Esses são os guardiões e as guardiãs desse espaço de vida chamado Cerrado. Os saberes ancestrais dessas pessoas constituem a sociobiodiversidade do bioma, e o cuidado com essa Casa Comum e o manejo consciente garantem a resiliência dos Cerrados. Ao fim da produção, essas pessoas que vivenciam dia a dia o Cerrado brasileiro, manifestam suas expectativas e anseios em relação a esse espaço de vida.

Segundo a CPT, o Maranhão é um estado emblemático para a realização do lançamento das duas produções, pois é um lugar onde os dois maiores biomas do Brasil se encontram: o Cerrado e a Amazônia. E essa convergência entre os biomas resulta em uma riqueza cultural, de povos e comunidades, e de fauna e flora. Entretanto, essa unidade da federação é, também, palco de graves conflitos socioambientais, seja no campo ou nas cidades.

*Com informações da assessoria