sábado , 31 outubro 2020

Como ser curado afetivamente pelo amor

amor

O amor é essencial para o nosso crescimento, equilíbrio afetivo para a nossa maturidade

Todos nós precisamos do amor puro uns dos outros; precisamos do amor de pai. E como é importante a presença, o carinho, a segurança e a firmeza de nosso pai, assim como as correções, as ordens e até mesmo as zangas e broncas que ele nos dá! Tudo isso é amor. Amor próprio de pai, necessário e imprescindível na nossa formação, essencial para nossa maturidade, nosso crescimento e equilíbrio.

Nem preciso dizer o quanto precisamos do amor de mãe, da presença e do carinho dela. O quanto precisamos da correção própria da mãe, do perdão que só ela sabe dar.

Todos nós precisamos do amor puro dos nossos irmãos e irmãs, da convivência e das diferenças; até mesmo das dificuldades entre irmãos. Tudo isso faz parte do nosso crescimento, da nossa maturidade. Sem isso ficamos afetivamente imaturos.

A família é o nosso habitat, o ambiente natural criado por Deus para aprendermos a dar e receber amor. É aí que se aprende a amar! É aí que se recebe o amor.

Interessante: amar é resultado de um aprendizado, e nós precisamos aprender. A família constituída por Deus  é o ambiente propício para que isso aconteça de maneira natural.

Precisamos aprender a receber amor. E é no ambiente caloroso de um lar, no aconchego de uma família, por mais simples e pobre que seja, que aprendemos a ser amados. Deixe-se amar, deixe-se ser atingido por gestos de amor, de bondade, carinho, compreensão e perdão.

Quanta gente não sabe amar ou não consegue expressar seu amor, porque não foi amado, não recebeu amor! Quanta gente não aprendeu a amar, porque não aprendeu a receber amor.

Precisamos de amor puro de pai, de mãe, de irmão… Precisamos do amor puro de nossa família.

Pena que eu seja obrigado a repetir a expressão “amor puro”. É claro que amor de pai e de mãe é puro; no entanto, sabemos que o mundo de hoje nos trouxe malícia e deturpação, confundiu tanto amor com sexo,que hoje todos nós precisamos urgentemente desse antídoto. Necessitamos desse contraveneno: o amor puro uns dos outros. E onde mais podemos encontrar esse amor puro é na nossa família. Sim, ela é e precisa ser um “oásis de amor”. É urgente preservarmos esses oásis de amor que ainda existes.

Como é bom ser família! Como é bom ter a presença de homens e mulheres, adultos, jovens e crianças! Como é bom ter diferenças de gênios, de temperamentos, opiniões e pontos de vista! Que bom ter de viver com o diferente!

É na família que nos conhecemos, descobrimos-nos e aproximamos-nos. É no seio familiar que nos corrigimos, desentendemo-nos e perdoamo-nos. Na família nem tudo é cem por cento, mas por meio dela nos amamos, nos perdoamos e nos reconciliamos. E aí está o essencial: a família é um “oásis de amor”!

Precisamos do amor puro uns dos outros. Os homens precisam do amor puro das mulheres, e elas precisam do amor deles. Os rapazes precisam do amor puro das moças; elas precisam do amor puro delas. Precisamos do amor puro dos amigos, dos colegas e companheiros. Precisamos do amor puro uns dos outros, porque todos fomos criados à imagem e semelhança de Deus, porque fomos criados para amar e para receber amor.

Amar e ser amado faz parte da essência do ser humano,e o amor é a essência da vida.

Fonte:http://padrejonas.cancaonova.com/informativos/artigos/como-ser-curado-afetivamente-pelo-amor/

Sobre Rádio Educadora

Verifique também

Comissão da CNBB emite nota sobre o Dia Mundial da Água

A nota recorda que a água, como direito humano, deve ser assegurada de forma universal …

Deixe uma resposta