Foto: (Reprodução / Agência Brasil)

Ministério da Saúde aguarda 1,8 milhão de vacinas para crianças nesta segunda-feira (31)

O Ministério da Saúde aguarda novas doses da vacina Pfizer para crianças nesta segunda-feira (31). São mais de 1,8 milhão do imunizante pediátrico direcionado ao público de 5 a 11 anos. A previsão inicial de chegada do lote era 3 de fevereiro, mas a pasta conseguiu agilizar a entrega para acelerar a imunização das crianças, que já começam a retornar às aulas presenciais em todo o país. As doses desembarcam em Campinas (SP), no aeroporto de Viracopos.

No total, mais de 407 milhões de doses da vacina contra Covid-19 já foram distribuídas. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil alcançou a marca de 40 milhões de brasileiros vacinados com a dose de reforço, neste domingo (30). Levantamento recente realizado pela pasta aponta que mais de 53 milhões de brasileiros estão aptos a receberem o reforço na imunização, mas ainda não retornaram aos postos para receber a dose de reforço, essencial para completar o ciclo vacinal. Trata-se do público que pode receber a nova dose entre os meses de janeiro e fevereiro.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, lembrou esta semana que há estudos que comprovam a eficácia da dose de reforço contra a variante Ômicron, e convidou a população para comparecer aos postos de vacinação para tomar o reforço que é feito com o imunizante da Pfizer, preferencialmente. Até o momento, mais de 1,8 mil casos da variante foram confirmados no Brasil, com dois óbitos registrados.

A campanha de vacinação contabiliza quase 92% da população acima de 12 anos com a primeira dose, o que equivale a 163,5 milhões de pessoas. Segundo a pasta, 85% da população já recebeu a segunda dose ou a dose única, ou seja, cerca de 151 milhões de pessoas.

Vacinação de crianças contra Covid-19

Até o momento, mais de 4,2 milhões de doses da vacina para crianças foram distribuídas e o último lote da Pfizer direcionado ao público infantil, de 1,8 milhão de doses, foi distribuído na última quarta-feira (26). A infectologista Joana Darc explica que estamos em um momento em que a maioria da população brasileira já se imunizou com uma, duas doses, ou até mesmo a terceira, a dose de reforço, justamente na busca de impedir que o vírus da Covid-19 continue circulando pelo país. E neste contexto, sobram as crianças, que sofrem o mesmo risco de infecção que os adultos e agora correm perigo, principalmente com o retorno às escolas.

“A gente tem a questão do retorno às aulas, da circulação dos diversos ambientes e isso vai favorecer a criação de bolsões de não imunizados e de manutenção da circulação viral. Então, é essencial vacinar as crianças, para que a gente possa ter uma maior possibilidade de diminuição dessa circulação do vírus”, alerta a infectologista.

 

Fonte: (Radio Educadora do Maranhão / Brasil 61)

Sobre Redação Educadora

Verifique também

Vacinação contra sarampo está abaixo da meta, diz Ministério da Saúde

O Brasil ainda está abaixo da meta de vacinação contra o sarampo. De acordo com …

Deixe um comentário