sábado , 15 maio 2021
Foto: Dankelvis Soeiro

Secretário da Saúde do estado concede entrevista no programa “Roda Viva” desta quarta-feira, 14

Nesta quarta-feira, 14, o secretário de saúde do estado do Maranhão, Carlos Lula, participou do bloco de entrevistas do programa “Roda Viva” da Rádio Educadora AM 560. Entre os assuntos abordados durante a conversa, foram destacadas as medidas já tomadas para o combate do novo coronavírus. De acordo com Carlos Lula, foram evitadas muitas mortes por conta da postura adotada frente à pandemia. O secretário destacou a diferença entre a taxa de letalidade do estado do Amazonas, que possui o maior índice de óbitos, comparado ao Maranhão. “Temos uma taxa de letalidade cerca de 4 vezes menor. E isso nos orgulha muito”, afirmou.

Em resposta aos questionamentos sobre os hospitais de campanha que estavam desativados quando chegou a segunda onda da doença, Carlos Lula explicou o ocorrido. Segundo ele, o motivo seriam os altos custos para manter os locais e frisou que seu interesse “é construir unidades permanentes que sirvam de legado”.

Foto: Dankelvis Soeiro

A respeito da conduta do presidente da República, Jair Bolsonaro, tal como suas declarações contra a ciência, o secretário deu seu parecer. “A ciência é método. A política precisa entender isso. Ciência não é política. Política é algo que cuida da sociedade e a ciência se dar com outra coisa. Seu compromisso é com a verdade”, comentou.

Quando perguntado sobre os próximos passos para o mês de abril, o secretário abordou o tema da quaresma que promove um período de reflexão onde o fiel se dedica a sentir mais a dor do próximo. A partir disso, Carlos Lula falou sobre a necessidade de todos assumirem uma postura com mais empatia e cuidarem de suas vidas e de seus semelhantes, evitando transgredir as normas de segurança.

 

Matéria: Dankelvis Soeiro

Sobre Redação Educadora

Verifique também

Projeto de Lei propõe que empresas paguem anualmente a indenização de representantes comerciais

Projeto de lei (PL 5761/2019) que tramita na Câmara dos Deputados propõe a opção de …

Deixe uma resposta