sábado , 15 maio 2021
foto: REUTERS/Amanda Perobelli

Butantan entrega mais 1,5 milhão de doses da CoronaVac

O Instituto Butatan entregou nesta última segunda-feira mais 1,5 milhão de doses da vacina CoronaVac para o Programa Nacional de Imunização. Com isso, chega a 39,7 milhões o total já entregue pelo laboratório estatal ao governo federal. No contrato fechado com o Ministério da Saúde está prevista a entrega de 46 milhões de doses até o dia 30 de abril. Mas, para produzir as doses, o Instituto Butantan precisa do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), que é fabricado pelo laboratório Sinovac, na China.

Na semana passada, o presidente do Butantan, Dimas Covas, chegou a dizer que precisou suspender a produção de vacinas por atraso na remessa do insumo pela China. Nessa segunda-feira, ele confirmou a previsão de que um novo lote do insumo deve chegar em São Paulo, mas só na semana que vem, dia 20 de abril. São esperados três mil litros do IFA, quantidade suficiente para produzir cerca de 5 milhões de doses. Mesmo assim, Dimas Covas garantiu que vai conseguir cumprir o contrato com o Ministério da Saúde.

Segundo o próprio Dimas Covas, da chegada do insumo até a liberação das vacinas prontas, o Instituto Butantan precisa de um prazo de 15 dias de produção. Além do lote de IFA aguardado para o dia 20, o Butantan espera outra remessa de três mil litros, ainda sem data marcada. Além dos 46 milhões doses que precisam ser entregues até o dia 30 de abril, o Butantan começa a entregar a partir de maio outros 54 milhões de doses para o PNI. Atualmente cerca de 90% das vacinas contra covid-19 disponíveis no Brasil são produzidas pela estatal paulista.

No começo do mês, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, calculou que o PNI deve receber 25,5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 em abril. O montante é pouco mais da metade da previsão inicial de 47 milhões de doses para esse mês.

 

Fonte: Agência Brasil

Sobre Redação Educadora

Verifique também

Anvisa suspende aplicação da AstraZeneca para grávidas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou a suspensão imediata do uso da vacina …

Deixe uma resposta