Foto: (Reprodução /Radio Educadora do Maranhão)

Coreia do Norte confirma teste de mais um míssil balístico

A Coreia do Norte confirmou o lançamento de um míssil balístico de médio alcance capaz de atingir o território norte-americano de Guam. O teste de domingo (30) do Hwasong-12 visa a avaliar o míssil que está sendo produzido e implantado e verificar sua precisão, informou a agência de notícias oficial coreana.

Segundo a mesma fonte, a câmara instalada na ogiva do míssil captou imagem da Terra vista do espaço, e a Academia de Ciências da Defesa confirmou a precisão, segurança e eficácia da operação do sistema de armamento. A Coreia do Norte disse que o míssil foi lançado para a água, na costa leste, em ângulo alto, para evitar que sobrevoasse outros países, não tendo revelado mais detalhes.

O Exército sul-coreano e o Ministério da Defesa japonês tinham dito que o projétil lançado no mar pelos norte-coreanos era um míssil balístico de alcance médio, violando novamente as resoluções estabelecidas pelas Nações Unidas. Este foi o sétimo teste realizado este mês, reafirmando a intenção da Coreia do Norte de reforçar as defesas nacionais, em meio a uma escalada de tensão na região.

De acordo com o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS), o lançamento ocorreu às 7h52 de domingo (horário local) na fronteira com a China. O projétil percorreu 800 quilômetros a leste em direção ao Mar do Japão, chamado de Mar do Leste nas duas Coreias, e teria atingido altitude máxima de 2 mil quilómetros sem entrar nas águas da zona econômica exclusiva do Japão ou provocar danos, segundo o governo japonês.

Reação sul-coreana

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, apressou-se a convocar no domingo, pela primeira vez em um ano, reunião do Conselho de Segurança Nacional do seu país. Ele afirmou que o último lançamento da Coreia do Norte é “desafio à desnuclearização da península coreana, à paz, à estabilidade e aos esforços diplomáticos da comunidade internacional, bem como ato que viola a resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

O presidente sul-coreano pede o fim da tensão, que a Coreia do Norte responda aos pedidos internacionais e retome o diálogo. Por sua vez, o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, convocou também reunião do Conselho de Segurança para esta segunda-feira. Disse que “condena veementemente” o novo lançamento, que “viola as resoluções das Nações Unidas”.

O Exército dos Estados Unidos pediu a Pyongyang que se abstenha de atos “desestabilizadores”, de acordo com comunicado divulgado pelo Comando do Indo-Pacífico, citado pela agência de notícias japonesa Kyodo.

 

Fonte: [Radio Educadora do Maranhão / Agencia Brasil]

Sobre Redação Educadora

Verifique também

Brasil e Portugal assinam acordos para gestão da água e saneamento

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) do Brasil e os ministérios dos Negócios Estrangeiros e …

Deixe um comentário