Novo chefe-geral da Embrapa Cocais é empossado

Quase metade da população do Maranhão (39%) vive e trabalha no meio rural. São cerca de 220 mil estabelecimentos rurais espalhados nos seus 33 milhões de hectares, grande parte deles dentro dos maiores e mais importantes biomas do Brasil, a Amazônia e o Cerrado, além da zona de transição dos cocais e da baixada. É um dos dez maiores produtores agrícolas do País e a quarta economia do Nordeste. E ainda detém mais de 30% da maior fronteira agrícola do País: o MATOPIBA. Por outro lado, possui um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano e a maior pobreza rural do País.

Nesse cenário, Marco Bomfim, o novo chefe-geral da Embrapa Cocais (MA), que tomou posse no dia 10, aposta em estratégia robusta para integração sinérgica de expertises das instituições de ciência e tecnologia estaduais, produtores e agroindustriais de todos os portes – dos pequenos da agricultura familiar aos grandes da agricultura de commodities e da pecuária -, poder público e sociedade civil organizada para minimizar contrastes e impulsionar o desenvolvimento do “Maranhão de desafios e oportunidades”, tendo a Embrapa Cocais papel ativo e estratégico nesse processo.

“O Brasil é hoje o terceiro maior produtor de alimentos e o segundo maior exportador mundial graças ao conhecimento científico e tecnológico desenvolvido pela Embrapa em 50 anos de existência em parceria com o Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária (SNPA). A Embrapa no Maranhão reflete a força de toda a Embrapa, de seus 43 centros de pesquisa e quase 2500 mil pesquisadores em rede, somada ao sistema de pesquisa do estado – mais de 5 mil professores pesquisadores que formam mais de 30 mil profissionais todos os anos – articulando ambientes de inovação em qualquer cadeia. Essa aliança estratégica – já em curso com o Instituto Federal do Maranhão (IFMA),  a Universidade Estadual do Maranhã (Uema) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) – fortalece a Rede de Pesquisa e Inovação Agropecuária Maranhense, arranjos produtivos e desenvolvimento territorial inclusivo e sustentáveis. Não há dúvidas de que a Embrapa é parceira fundamental e estratégica na consolidação do Maranhão como potência agrícola, um estado de grande plasticidade produtiva e riqueza e diversidade de recursos naturais”, resumiu.

Falas dos gestores e autoridades – Iniciando as falas da solenidade, o ex-chefe geral, João Zonta, lembrou a história da Embrapa no estado do Maranhão, trajetória que se iniciou com a formalização de um convênio entre a Embrapa e o Governo do estado na década de 1990 e culminou com a criação da Embrapa Cocais. “Nesses últimos anos, desenvolvemos ações de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em diversas áreas do conhecimento, de Norte a Sul, da produção de commodities à agricultura familiar, visando ao desenvolvimento econômico e social do estado. Formalizamos parcerias com a UEMA, UFMA,  IFMA, Secretarias de Estado, Fundação Vale, Rede ILPF, Ambev, entre tantos outros. Iniciamos diversos projetos de pesquisa em temas bastante importantes – como Agricultura Sustentável e ILPF – e o desenvolvimento de linha de produtos alimentícios a partir do babaçu (como leite, queijo, hamburguer, farinha de amêndoa, entre outros), sistemas agroflorestais, mandioca, arroz, feijão-caupi, algodão”, enumerou.

A presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Iracema Vale, ressaltou o orgulho em dizer que a Embrapa Cocais ajudou muito o município em que foi prefeita. “Tecnologias da Embrapa – como Reniva, Sisteminha, alimentos biofortificados, entre outras – mudaram a realidade do nosso município. Os canteiros se espalharam diversificando a oferta de alimentos e abastecendo os supermercados. Estou à frente do poder legislativo estadual e trago muita gratidão à Embrapa e desejo sucesso à nova gestão. Somos parceiros e juntos vamos alavancar o desenvolvimento do nosso Maranhão”.

O secretário de estado de Agricultura Familiar, Diego Rolim, que representou o governador do estado, Carlos Brandão, ressaltou o portfólio de tecnologias da Embrapa para a agricultura familiar do Maranhão e o potencial do babaçu e seus subprodutos para o desenvolvimento do estado.

Modelo de gestão aberta – Para a nova gestão, fazer inovação e a transformação não é um paradigma somente tecnológico, mesmo sendo a tecnologia parte fundamental do processo. A inovação ocorre a partir da ativação do ecossistema de inovação com base em quatro pilares: ciência e tecnologia, iniciativa privada (produtores, agroindustriais e indutores), poder público e sociedade civil organizada.

Nesse contexto, uma das metas é inovar na forma de atuação da Embrapa Cocais, tornando-a, corporativamente, uma célula de inovação aberta (co-criação de soluções em parceria com clientes), atuando em rede no ecossistema de inovação maranhense para o desenvolvimento de pesquisa e inovação agropecuária, bem como cumprindo papel estratégico para o setor produtivo ao visibilizar demandas e apoiar a formulação de políticas públicas.

Essa forma de trabalhar não é nova. Já faz parte da estratégia da Embrapa Cocais o compartilhamento de expertises, campos experimentais e laboratórios da Rede Embrapa e parceiros para atender as demandas regionais. Para cumprir sua missão, adotou, ao longo de sua trajetória, a prática de se conectar com agentes de C&T e instituições públicas e privadas do estado e a Rede Embrapa para fazer entregas em pesquisa e inovação e diversificar fontes de recursos.

Sobre a Embrapa Cocais – É uma Unidade ecorregional criada em 14 de dezembro de 2009, com sede no município de São Luís (MA). Possui também uma Unidade de Execução de Pesquisa no município de Balsas (MA) e um Campo Experimental no município de Arari (MA). Desde sua criação,  tem realizado trabalhos com foco em pesquisa e desenvolvimento e transferência de tecnologia em temas relacionados a diversas cadeias produtivas e voltados a diferentes públicos e demandas.  Atualmente a Unidade possui 46 colaboradores, sendo 4 assistentes, 8 técnicos, 17 analistas e 17 pesquisadores.

*Com informações da ASCOM/EMBRAPA

 

Sobre Redação Educadora

Verifique também

A oração do Papa pelos gaúchos

Papa recorda durante o Regina Caeli o drama vivido pela população do Rio Grande do …

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x